Madeira Tratada - Sudoeste Paulista Madeiras
Notícias da Sudoeste Paulista Madeiras
18 Abril 2016

Madeira tratada. Porque ficou tão fácil e tão difícil comprar.

Nos tempos atuais, quem gosta de madeira tratada ou precisa dela para suas atividades do dia a dia, tem uma facilidade tremenda em compra-la. Quase todas as madeireiras e até  em  algumas casas de material de construção, elas estão lá.


Nos tempos atuais, quem gosta de madeira tratada ou precisa dela para suas atividades do dia a dia, tem uma facilidade tremenda em compra-la. Quase todas as madeireiras e até  em  algumas casas de material de construção, elas estão lá.

Isso se deve pela popularização da madeira tratada, e em outra ponta, pela conscientização das pessoas em relação ao meio ambiente e às dificuldades de comércio de madeiras nativas, incluindo aí seu preço.

Houve, de 1990 até hoje, uma verdadeira explosão na quantidade de Usinas de tratamento de madeiras em operação.

Repare as propagandas delas na internet: todas são modernas, de ultima geração, todas atendem plenamente as Normas ABNT, todas são ecológicas, todas tem produtos de alta qualidade...

Mas será que a propaganda reflete verdadeiramente os anseios e necessidades dos consumidores? Acreditamos firmemente que não. Veja a opinião de Flávio C. Geraldo , Gerente de Mercado para a América latina da Arch Química, sobre o mercado de madeira tratada:

“Estamos participando de um evento onde o número de convidados aumenta de forma desproporcional em relação ao tamanho dos quitutes oferecidos. O ambiente se torna perigosamente competitivo, dando inicio aos sacrifícios e a primeira vitima é a qualidade. Logo em seguida, outras vitimas surgem, destacando a segurança operacional e ambiental e até mesmo as adequações aos preceitos legais. Parece que entramos na fase do vale tudo".  Fonte: parte do texto de Flávio C. Geraldo, Revista Referência Florestal , Ed. Setembro de 2014. Retirado de www.madeiratratada.com em 04/2016.

Mas se o mercado está assim, sacrificando a qualidade pelo lucro imediato, como você pode se proteger e comprar um produto que te dê o melhor custo-benefício?

Em minhas parcerias comerciais, durante toda a minha vida, muito mais que somente preço,  eu me pautei nos seguintes pontos:

  • A negócio certo (alguém que contribui com algo  que preciso);
  • A personalidade certa (alguém com quem gosto de trabalhar);
  • O lucro certo (um negócio que é bom e lucrativo para ambos).

Isso sempre me evitou dores de cabeça, porém, para que se tenha mais precisão na escolha do fornecedor ideal preparamos 5 dicas para você:

Primeira: não se impressione com o tamanho da empresa. Tamanho não é documento.

Segunda: Verifique se a empresa possui algum selo de qualidade ( ISO 9001 ou Qualitrat). Os selos são um indicativo da preocupação com a qualidade, mas infelizmente muito poucas contam com esse recurso.

Terceira: Verifique,  atraves da apresentação de um documento chamado ART ( Anotação de responsabilidade técnica) , se a empresa possui um responsavel técnico pela qualidade do produto.

Quarta: verifique a quantos anos a empresa está no mercado sob o mesmo comando. Quanto mais melhor. Preferencialmente mais de 15 anos.

Quinta: verifique se a empresa está em dia com o licenciamento ambiental. Uma empresa neste ramo,  sem licenciamento ambiental não pode ser considerada uma empresa séria, muito menos confiável.

Todas as dicas, são de fácil verificação. Bastanto, para tanto, o cliente pedir para ver esses documentos.

Assim você pode fazer boas compras, com a certeza de estar adquirindo um produto com o melhor custo-benefício e com a tranquilidade de estar colaborando com o meio ambiente através da aquisição de um produto com baixo impacto ambiental, que colabora com a redução do efeito estufa, altamente amigavel ao meio ambiente e muito seguro. Mas isso é assunto para outra conversa.

Vicente Cassiano de Almeida
Eng. Florestal
18/04/2016

 

 



retornar as notícias